BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, 24 de outubro de 2010

Reflexões...

Nem sempre a mão estendida é a que pede, mesmo estando vazia. Há coisas que não podem se materializar.


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Imutável

Enquanto a pedra quer tornar-se gelo
O gelo quer virar cristal
E o cristal um belo diamante, que não gosta de brilho,
Queria ser pedra.

* Para uma certa pedrinha que conheci... Pedro.


sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Cor e Luz para os amantes da arte





Obras do artista Leonid Afremov:
1- Bronze Fall
2- Jazz Duo
3- John Lenon
4- Rain Princess

Para conferir mais obras do Leonid tá aqui o link > http://leonidafremov.deviantart.com/


Naquele jardim além de flores, esconderijo.
Os passos infantis ressoavam como harpas em festa de casamento
Havia perfume, haviam risos 
As bonecas tomavam chá junto às suas jovens mães
De longe o sino indicava a hora de partir
E o jardim dava adeus as suas mais belas flores.


Carrossel


Roda, roda carrossel até o dia virar noite
Até as luzes preencherem os meus olhos
Até o vento se concentrar em forma de círculo invisível...
Só assim sinto-me bem, com os cabelos desgrenhados
e um sorriso ligeiramente inevitável
Roda, roda carrossel, o mais rápido que puder!
Quero ver tudo desfocado, quero esquecer que a vida gira em torno de um eixo.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Coralie Clément


E aqui está a Coralie, mencionada no post anterior... Linda, não? Pra quem gosta de pop-rock, samba, jazz, bossa nova, tudo isso com um toque francês, pode ouvir a Coralie!!!

O vídeo a seguir é um trecho do filme Vivre sa vie, "Viver a vida" de Jean-Luc Godard com a música "Samba de mon cour qui bat". Obs.: quem aparece no vídeo é a atriz Anna Karina.



Keren Meloul


Cantora e compositora francesa, seu apelido "Rose" vêm do filme The Rose,  dirigido por Mark Rydell cujo roteiro é baseado na vida de Janis Joplin... O idioma francês é encantador, na voz da Rose então... Existe um pouco de blues, jazz e folk-pop em suas músicas... as letras mais parecem poesia, vale a pena conferir... Particularmente eu adoro música francesa e além da Rose também indico a Coralie Clément, são as minhas favoritas da França =] Confesso que o fato dela ser fã da Janis fez com que eu a admirasse ainda mais hauahuaauahu ela até a menciona na música "La liste" Ecouter Janis Joplin, yes baby! 

O Amor


Amor, sentimento instável de maldição permanente... Não há como sair isento de algo assim, se é amor...
Amaldiçoados os que amam! Perdem-se em um corpo que não é seu, o orgulho se esvai, o momento torna-se descompassado e sem medida, o "não" é um convite, o sorriso torna-se beijo para o destinatário apaixonado. Tonto, apressado coração. Nem percebe a hora de ir e já quer voltar, fincar raízes em território inimigo... Não importa-se em atravessar o campo minado, quer arriscar-se até perder a última gota de sangue,  doar-se assim é uma ventura? Tenho minhas dúvidas, não amo. O amor em mim permanece em vermelho, não como  cálido coração que pulsa, mas como um sinal fechado, sem permissão para seguir...


domingo, 26 de setembro de 2010

Desaparecer


Os traços e os laços meus desfazem-se gradativamente. Sinto até que vou desaparecer, assim como desapareceram os risos e as cores, assim como desapareci desse corpo um dia, assim como sempre quis encontrar o caminho de volta... Imagino diversos lugares, mas nenhum é confortável, nenhum prende minha vontade... Dessa vez a culpa é minha, estou longe de tudo e de todos, a carne rígida é apenas um disfarce, uma forma de ocultar a minha velhice interna. Estou longe, longe de tudo e de todos... Longe de mim.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

La scapigliata


Não sei o que me leva a gostar tanto deste desenho... Incontestável o talento do Leonardo da Vinci, mas este em si é especial, inexplicável...

Luz azul



terça-feira, 21 de setembro de 2010



Em alguns momentos temos que ser maleáveis. Não existe razão absoluta... Erramos.
E erramos em dobro quando não somos capazes de assumir o erro... Misterioso é o orgulho, sentimento pequeno que nos faz sentir do tamanho de um arranha-céu, e, portanto, distancia-nos do simples, do que respira, do que sente... Daqui posso ver a Lua, as estrelas, as nuvens e o horizonte. De cima, vejo tudo pequenino, não consigo observar a beleza das coisas, não são formigas, são apenas pontos escuros, sem foco.





sábado, 18 de setembro de 2010

Gelo


Corpos álgidos outrora quentes
buscam no abraço um  fiasco de calor
em poucos segundos são petrificados
o gelo não era pele, era amor.

Meu violão


Até parece que larguei meu violão no fundo do mar
as cordas enferrujadas soam como serrote a machucar

Tenho DÓ de vê-lo assim
levado ao nada, sempre de RÉ.

Sem o MI para migrar
e o FÁ para fazer
a melodia com clave de SOL 

Não vou compor nenhuma canção
LÁ não há ninguém que possa ouvir
a janela mais parece um oco
sem sombra nem ecos de coração

SI um dia o pobre violão
puder me escutar
pedirei que tenha DÓ de mim
e acompanhe o meu cantar.







Por tanto tempo - Olavo Bilac

Por tanto tempo, desvairado e aflito,

Fitei naquela noite o firmamento,
Que inda hoje mesmo, quando acaso o fito, 
Tudo aquilo me vem ao pensamento.

Sal, no peito o derradeiro grito
Calcando a custo, sem chorar, violento...
E o céu fulgia plácido e infinito,
E havia um choro no rumor do vento...

Piedoso céu, que a minha dor sentiste!
A áurea esfera da lua o ocaso entrava.
Rompendo as leves nuvens transparentes;

E sobre mim, silenciosa e triste,
A via-láctea se desenrolava
Como um jorro de lágrimas ardentes

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Poça

Para mim, não há nada mais bonito que a chuva. Cada gota que se precipita é um afago. A água em plena noite brilha de cristalina que é. Basta olhar o céu por alguns instantes para ter a sensação de que é você quem está subindo... Uma viagem entre os cristais  líquidos... E quando resolvemos fitar o chão, já existem diversos mundos em forma de poça, aparentemente profundos quando os pingos d'água tocam sua superfície, mas relativamente rasos quando decidimos pular sobre eles...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ultimamente...

... Eu não tenho estado 100%... Sou como uma bateria velha, não importa o quão tentem dar-me ânimo, estou sem forças, sem vontade para manter as coisas funcionando... 
Ainda bem que não é minha a função de controlar os órgãos vitais, pelo menos não diretamente.
Sábado será o grande dia, SCORPIONS em João Pessoa, não estou com aquela vontade de ir, mas irei... Afinal é a última turnê deles. TRÁGICO =]

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Querer

- Qual quer?
- Qualquer um...
- Quer qualquer um?!
- Sim... Que não seja um qualquer!

Abraço

Teu abraço é como uma camisa de força... Prende, mas não conforta.

Haikai [8]

Ninho de barro
no tronco da árvore
engenhoso João.

Haikai [9]

Cais vazio
pescador à deriva
busca alimento.

Haikai [7]

Rio coberto por
fibras de sutileza
flor de vento.

Essência

Procurei a minha essência e encontrei-a nas minhas atitudes.

Empoeirado

Mentira, leve poeira
Descansa nos livros e prateleiras
Quando a procuro
Esconde-se no ar
Quando a camuflo
Faz-me espirrar

Minto e espirro
Agora entendo
O motivo da gripe nunca cessar
Assim como a poeira, está a mentira
Ao alcance dos dedos
Basta tocar!

Amador

Todos os dias após o jantar vou a casa de um amigo para dar-lhe uma força... Ele é um cara estranho sabe? Desses românticos que só apaixonam-se por alguém impossível. Já tentei fazê-lo sair, o levei para as mais badaladas festas da cidade, mas nada, nenhuma reação! O mais engraçado nisso tudo, apesar de não ter a mínima graça é que as mulheres interessam-se por ele, acham-o fofo e sensível... É como diria meu avô - "Para que serve a sorte se não fazemos dela uma oportunidade?!" Sei não, essa coisa de amor platônico não é comigo...
E enquanto meu amigo insiste em amar a dor, peço a Deus que nesse quesito eu seja sempre um amador!


Este conto é totalmente fictício =)

...

Os sonhos devem ser esboços da realidade e não passaportes para a ilusão.

Vestígios

O fogo destrói todas as provas de um amor proibido. Cartas viram cinzas e o amor é jogado ao vento!

Tuas mãos

TUAS MÃOS SEMPRE TÃO FRIAS
DIZEM-ME NÃO SÓ POR QUERER
ENTÃO ME AJOELHO DIANTE DE TI
E PEÇO PERDÃO POR NÃO TE ESQUECER
AGORA ESTÃO QUENTES E ESTAPEIAM MEU ROSTO
MAS NÃO DESAMINO E TENTO OUTRA VEZ
JURO TE AMAR SEM NENHUMA MEDIDA
BEIJO-TE AS MÃOS E COMEÇO A TREMER
EMPURRAM-ME PRA LONGE
VOLTO SEM MEDO
INDECISA ME APERTA E OLHA PRA MIM
CHORAS COM MEDO DE UM DIA EU TE DEIXAR
MAS POR QUE INSISTES QUE ESTE É O FIM?
QUERES SABER SE TE AMO DE VERDADE
ENTÃO PROVAREI O QUE SINTO POR TI
ANTES QUE FAÇAM UM SINAL DE ADEUS
ALGEMO TUAS MÃOS PARA NÃO VÊ-LA IR.

Sensibilidade

Não olhe...
...Os olhos costumam só ver o que querem
Não ouça...
...Nem tudo o que lhe dizem é verdade
Não toque...
...Nem toda maciez é afável
Não inspire...
...Poluição para os pulmões ou ódio para o coração
Não deguste...
... O doce pode se tornar amargo
Apenas sinta, pressinta... A sensibilidade vai além da matéria física...
A sensibilidade é, sobretudo, reflexo do nosso subconsciente e da nossa alma!

Poeta

Hipnotiza-me com tua sensibilidade
Reflete-me em tua história
Torna-me inspiração
Transpõe
Imagina
Cria
De um papel em rabiscos
Faz nascer a mais bela lição de vida
Procura em teus sonhos o melhor
Esconderijo e quando o achar
Por favor, me chame!

Dor

Tão inexaurível é a minha dor que nenhuma substância pode ocasionar-me overdose...

Distorção das luzes

Na luz, uma face deformada
Na sombra, a mais bela alma.

Declaração desajeitada

Cansei dessa vida!
                  Posso fazer parte da sua?
                                           Desculpe, não consigo ser mais direto...

Sonhos

Toda manhã eu tenho um sonho diferente
Geralmente eles são doces e coloridos
Meu pai diz que não são difíceis de conseguir
Ele os traz de um lugar chamado “Padaria”
Fico pensando se quando eu crescer os meus sonhos
Também serão doces, coloridos e feitos de fermento
Para que eu possa dividir com alguém e ver em seu rosto
O mesmo sorriso que meu pai vê no meu ao entrar por aquela
Porta com o meu sonho nas mãos...

Onda de amizade

Amigos são como ondas
Que vêm e que vão
Podem ser leves e quentes
Mas também podem ser frias
Expulsando o que não acrescenta, só sobra
São fortes, transparentes
E dependendo da sorte podem ser
Salvação ou morte
Levam-nos para o infinito
Envolvem-nos em seus braços
Confortam nosso cansaço
Com brancas espumas
Acolhedoras
Trazem beleza
Na beira do mar nos oferecem estrelas
Levam nossas angústias consigo para o fundo do oceano
Invadem nosso ser e nos tornam parte de si
Numa só onda.

Cumulus delirius

Grande nuvem passageira
Grandiosa a primeira
Se és ou não a derradeira
Queria eu saber.

Por que se desfaz?
Por que se refaz?
Meus olhos te seguem em longos círculos
Vejo mais que uma mancha branca no céu azulado

Mancha, mancha, desmancha
No monta-desmonta dos céus
Remonta-se, remete aos longos temporais
Em cenário repetido a nova história jaz

Espalha-se de dia
Enfeita o céu para o sol
De noite quer ser estrela
Por isso encobre a lua

A lua luz torna-se treva

E isso não me desespera
E isso não é um delírio

Em breve virá o alívio

Dueto com o poeta/amigo/irmão/misterioso/tempestade DARK DIJA.

Obs.: Surgiu a partir de uma conversa no MSN... Rs...
Obs.²: O título foi sugerido pelo Dija e remete tanto ao "cúmulo dos delírios", quanto a palavra "Cumulus" que se refere a um tipo de nuvem. Cumulus, Cumulus Nimbus e etc.

Racionalidade animal

Em meio a tantos animais o homem julga-se racional.
Provoca guerras, destrói o patrimônio divino, inunda-se em sua própria ambição, comete todos os erros possíveis para depois encontrar o melhor caminho e além disso, protege sua pele com a pele dos inocentes... Seria mesmo esse homem racional? Se isso for racionalidade prefiro ser irracional e utilizar meus instintos para reconhecer o traidor da minha própria espécie...

Estagnado

De tanto ser cauteloso conquistei minha estabilidade... Não ganhei  nada, não perdi, não fui amado nem odiado, não fui triste nem feliz.

Covardia, vulgo indecisão

Todo homem sabe o que quer, porém, é indeciso, pois teme as consequências de suas escolhas.

Novela da vida real

Como eu queria que a vida fosse uma novela... Embora ouvesse sofrimento e pessoas más teríamos a certeza de um final feliz.

Lágrimas de carvão

Aprisionados pelo comodismo
soltos pela ambição
Amantes da tecnologia
assassinos da Nação

E quando não houver matéria-prima
que áreas devastarão?
Não haverá ouro nas minas
apenas lágrimas de carvão.

Decepção

O que mais decepciona não é descobrir as falhas do próximo, é principalmente perceber que as suas expectativas em relação a ele nunca serão atingidas.

Mudança

Não adianta mudar de veículo se o piloto ainda for o mesmo...

Verdadeira solidão

A verdadeira solidão não provém da falta de companhia, mas sim da falta de amor.

Tua, minha luz

Tua luz, quase nada
Não ilumina nem se propaga
Mas no breu do meu olhar
Foi a saída que eu vi brilhar
 
Não a esqueça... Aqueça a mim
Que sem tua luz não pode andar
Pois os meus olhos não querem ver
Além daquela que sei amar

Quero desfiar tua roupa
Enlaçar-te em meus braços
Como fios de lã

Quero matar minha sede
Agarrado em teus seios
Sabor avelã

Teus olhos, meu espelho
Cálidos beijos
Luz e luar

Meu amor por ti se reflete
Sempre que a lua
Beija o mar.


Mãe

M etade de mim tão ausente
A prendi a caminhar contigo
E hoje ando sozinho



...

Pulsão

P- paralelo desejo
U- usufruto convencional
L- lápide da razão
S- sabotável, imoral
A- audácia que polui
O- o ópio dos ancestrais.

Densidade relativa do vazio

Tão denso é o amor que em mim falta força para sustentá-lo.

A viagem do aprendiz

As ondas de calor dançam sobre o chão. O aprendiz entontece. Trêmulo fica o horizonte. Ele resiste à aridez, aquieta as lágrimas e respira fundo. Faz de sua transpiração, termostato. Olha novamente, o verde surge no deserto. O aprendiz guarda a esperança como água potável de que seu corpo tanto necessita. Continua a seguir seu destino, dessa vez com mais uma estrela nos ombros.

Para o meu amigo DARKDIJA

Ikebana

Ela arranja as flores em um vaso de vidro,
Aguarda seu amor, honrado samurai.
Ele também aprendeu a arranjar flores,
Presenteou-a e foi desarranjar vidas.

Impostor da razão

Eu não possuo algemas
Não sei ditar
Vá ou fique se assim desejar
Busque o seu lugar
Porém, se eu discordar
Não me impeça de ir, de abandonar.

Tanto faz o coração
Ele pulsa vida, em carmesim, a paixão
Mas não é dele a função de amar.

Como sempre, impostor
É pitoresco e fácil de desenhar
Bomba que me explode o peito
Quando o coração da mente
Insiste em parar.

Sol

O sol não me deixa em paz
seja pela manhã ao clarear meu quarto
seja à tarde ao queimar-me os ombros.

Quando estou brava, ele me dá uma trégua e chove,
mas não demora muito para que ele me encare novamente
fico sem jeito, minhas bochechas ardem rosadas como romãs maduras.

Quando chega a noite ele se faz de esperto
esconde-se do outro lado para que eu não o perceba
mas, basta olhar para a lua para saber que ele está me vigiando...

Não!!!

Não, não repudie meu negativismo
não por discordar ou por querer implicar
hoje eu estou pelo avesso
não adianta tentar organizar
desejo a desordem, desejo não pensar
Não espere calmaria, hoje serei raio
serei sal em carne viva, serei o que jamais esperei de mim.
Só pra reinventar, desatar o nó da garganta, pelas incontáveis
vezes em que eu disse "sim" sem desejar.

Umbilical

Fios acústicos nutrem os meus ouvidos como cordão umbilical duplo. A diferença é que quando interrompidos, não há nascimento nem evolução e sim senescência...

Inteira

Essa falsificação em transe
nosso monstro que vale a pena seguir
chamá-lo e vê-lo nesse corpo, maltratado pela demora

é possível que essa autodestruição nos canse um dia – agora não
a possessão é um consolo para aqueles que se crêem vivos
pessoas docemente crispadas

nossa entidade comível pra dor ser justa
sobre a lua de nossa escolha
o mundo continuará como reação.

escurece rápido e o Deus morre quando pisamos
“Respira pelos coágulos, meu bem”
nunca mais esses desfiladeiros baratos
desde a infância mais tenra
até os espíritos carinhosos
coquetéis explorados
num amanhecer virulento
cheio de vozes

olá

a injustiça do corpo
o que atravessa
cai em paisagem
o que nos atravessa
nos olha

chamamos

--------------------------------------------


Texto do meu amigo, escritor Manassés Diego.

A bússola

Com a bússola e pernas quebradas
Destila suor sem anteparo
Expandem-se as narinas ofegantes
E os poros inflamados pelo medo
São como um amistoso convite
O grito perturba os pássaros
Em sincronia, migram para o leste
Como é bonito vê-los enfeitar o tenebroso céu
Viajantes noturnos de bússolas indestrutíveis
Pobre garota, na densa floresta, de bússola quebrada.

Lei da gravidade

O equilibrista gaba-se de viver entre os extremos que levam ao chão. Acontece que não só a vibração do corpo, mas também o seu peso, pode romper a corda. Majestosa gravidade!

Pessimismo

Para o pessimista, prever a tragédia é uma forma de amenizar seu impacto caso ela ocorra, mas no fundo ele espera algo de bom e quando diz “Eu já sabia!” na verdade está surpreso e triste...

domingo, 29 de agosto de 2010

Tão "Down"

"Pensei que haveria um pouco mais de amor para mim.
Guardei cada luar, cada verso encoberto nas notas da canção.
Pra que? Se um vazio me esperava, eu não percebi...
Devolve meus dias, minha alegria.
Diz nos meus olhos verdades ruins."


Trecho da música "Inclemência" de Zélia Duncan...


-------------------------------------------------------------------------------